Cenário em 27 de Setembro

Até o dia 27 de setembro de 2020, 198 dias após o centésimo caso de COVID-19, o número de casos confirmados de coronavírus era de 4.732.309, dos quais 85,8% já se recuperaram da doença. O número de óbitos é de 141.741, correspondendo a 3% dos casos confirmados. Dessa forma, 530.480 pessoas encontram-se ativamente doentes. Em relação ao total da população nacional, a contaminação é de 2,25% e os óbitos representam 0,067%.

Como mencionamos no último relatório, os novos casos por Covid-19 no país vem apresentando uma tendência de queda acentuada desde o início de agosto. De acordo com a previsão realizada no dia 26 de setembro, esse número deve se estabilizar nas próximas duas semanas, com uma média 27.575 novos casos por dia, levando a 5.092.921 casos acumulados. Dessa forma, o Brasil ultrapassará a marca de 5 milhões de casos nas próximas duas semanas. O número de novas mortes, que vinha se estabilizando nas últimas semanas, apresenta uma tendência de aumento leve nas próximas duas semanas. O total de mortes acumuladas deve chegar a 152.143 e a média diária será de 797 mortes.

Desde o início de maio, o número de reprodução nacional se manteve majoritariamente em declínio com apenas alguns períodos de estabilização. Na última previsão, porém, o número de reprodução voltou a apresentar uma tendência de estabilização. O valor atual é de 0,92. 18 estados e o distrito federal apresentam um número de reprodução inferior a 1. Goiás, Mato Grosso, Amazonas, Acre, Roraima, Maranhão, Alagoas e Rio de Janeiro apresentam um número entre 1 e 1,5. Nenhum estado apresenta um valor acima de 1,5.

Comparando os estados do Brasil, pode-se observar que São Paulo apresenta um número de casos acumulados significativamente maior do que os outros estados. Com 972.237 casos confirmados, São Paulo tem quase 3,2 vezes o número de casos da Bahia (306.036) e mais de 3,7 vezes o número de casos do Rio de Janeiro (261.860). Com relação às mortes acumuladas, o quadro é bem similar. São Paulo teve 35.108 mortes por Covid-19, quase duas vezes o número de mortes registradas no Rio de Janeiro (18.278) e quase 4 vezes o número do Ceará (8.919). O menor número de casos foi registrado no Acre, 27.874, e o menor número de mortes, em Roraima, 637. Porém, para melhor interpretar esses dados, é necessário olharmos para a contaminação e o número de mortes com relação à população estadual. Nesse caso, os maiores índices de contaminação são encontrados em Roraima, que teve 8,24% de sua população contaminada, seguido pelo Distrito Federal (6,29%) e pelo Amapá (5,65%). Minas Gerais apresenta o menor percentual de casos com relação à população (1,36%), seguido pelo Rio de Janeiro (1,52%) e Paraná (1,53%).
Com relação aos óbitos, Distrito Federal (0,106%), Rio de Janeiro (0,106%) e Roraima (0,105%) apresentam os piores índices. Já Minas Gerais (0,034%), Santa Catarina (0,038%) e São Paulo (0,077%), os melhores.