O Cenário em 22 de Junho

A previsão realizada no dia 22 de junho, mostra um crescimento ainda acelerado para novos casos, entretanto, estamos hoje em um cenário de aceleração mais baixa do que vínhamos observando. O valor mais recente observado, no dia 23 de junho, é de 1.145.906 casos confirmados e a previsão é de que no dia 06 de julho este número chegue a  1.635.285 milhões de casos. O Número Efetivo de Reprodução para o Brasil subiu em relação ao dia 17 de junho de 1,1 para 1,17.

No caso das mortes, desde o mesmo dia, a taxa de mortalidade caiu de 4,9% para 4,6%, com previsão de que caia para 4% até o dia 06 de julho. A curva de mortes acumuladas vem perdendo força e mantém a característica de crescimento linear que mencionamos no dia 5 de junho.

Em relação ao último cenário avaliado, o número de estados que apresentam uma taxa de reprodução menor do que 1 continua diminuindo e agora somente 5 estados estão nessa faixa. Dentre os estados que permanecem com essa característica, Amazonas e Tocantins encontram-se há mais de 14 dias nessa faixa. Já Roraima, Maranhão e Ceará encontram-se há menos de 10 dias.
O número de estados que apresentam valores maiores do que 1,5 aumentou de 4 para 6 e, atualmente, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná, Amapá e Rio Grande do Norte encontram-se nessa faixa. Nestes estados, a taxa média de crescimento prevista para novos casos (mortes) nas próximas duas semanas é de 4,27% (4,2%) ao dia, contra 1,41% ( 0,78%) nos estados com um Rt menor que 1 e 3,02% ( 2,33%) nos demais estados, onde o número de reprodução está abaixo de 1,5, mas acima de 1.